Cronologia


1915- Em 12 de abril de 1915 é fundado o maior clube do estado da paraíba o Campinense Club (inicialmente escrito segundo a ortografia do Inglês “Club”), pelas seguintes pessoas: Acácio Figueiredo, Adauto Belo, Adauto Melo, Alberto Saldanha, Alexandrino Melo, Antônio Cavalcanti, Antônio Lima, Arnaldo Albuquerque, Basílio Agustinho de Araújo, César Ribeiro, Dino Belo, Elias Montenegro, Gilberto Leite, Gumercindo Leite, Horácio Cavalcanti, João Honório, José Amorim, José Aranha, José Câmara, Luis Soares, Manoel Colaço, Martiniano Lins, Nhô Campos, Sebastião Capiba, Severino Capiba, Sindô Ribeiro, Tertuliano Souto e Valdemar Candeia.

1917- Em 1917 Arnaldo Albuquerque criou o departamento de futebol no clube.

1919- O Campinense vence seu primeiro jogo na história, Campinense 2 x 1 América /junho de 1919.Time que conquistou a primeira vitória do Campinense na história: Henrique, José Lopes, José Rocha, Dino Belo, Felizardo Dantas, Luis Gomes, José Barbosa, Biscoitinho, Júlio Honório, Diógenes de Miranda, Biu Capiba e João Arruda.

1920- O fim do departamento de futebol no clube.

1933- Foi construída a 1ª sede do clube, na praça Coronel Antônio Pessoa, a obra foi orçada em 100 contos de réis.

1954- O Dr.Gilvan Barbosa no dia 12 de março de 1954 reativa o departamento de futebol no clube, foi criado então o departamento de futebol amador

1955- No dia 27 de novembro, ocorreu o 1º jogo do Clássico dos Maiorais, clássico esse que é o maior da Paraíba e um dos maiores do Brasil, o Treze levou a melhor ao vencer o Campinense por 3 x 0 no estádio Plínio Lemos.

1956- Suje então o 1º time amador do Campinense organizado, esse time conquistou bons resultados.

1957- No dia 10 de março, o Campinense sofreu uma goleada para o Treze, 4 x 0 , a goleada feriu os brios dos diretores do Campinense, iniciou ai um projeto de profissionalização do clube.

1958- O Campinense ganhou um amistoso contra uma equipe profissional, o Treze(primeira vitória do Campinense no Clássico dos Maiorais), isso gerou um interesse de profissionalizar o time, a raposa já tinha conquistado os três últimos vice-campeonatos da cidade (1955/1956/1957).
Nesse ano o Campinense fez sua primeiras contratações na história, as primeiras contratações do Campinense foram: goleiro Josil e o meio-esquerda Bruno. Foi nessa época que o Campinense fez uma parceria com a prefeitura de Campina Grande, havia um estádio municipal o Plínio Lemos, o estádio era da prefeitura, mas era administrado pelo Campinense, a raposa era responsável de concluir o resto do estádio e de cuidar dele, foi naquele estádio que o Campinense viveu seus melhores momentos.

1960- O clube participa pela primeira vez do Campeonato Paraibano, no dia 30 de julho de 1960 consegue sua primeira vitória no campeonato estadual, Campinense 3 x 0 Ibis, com apenas uma derrota e treze vitórias no estadual, a raposa conquista seu primeiro título estadual.

1961- Esse ano foi marcado principalmente pela conquista do bi-campeonato e o Campinense realizou seu primeiro feito, foi a primeira grande equipe do estado a participa de uma competição nacional a Taça Brasil, naquela edição a raposa foi vice-campeão da Taça Brasil fase-Nordeste.
Jornais da época relatam a festa da torcida do Campinense com a conquista do estadual de 61: "antes que o jogo acabasse os fogos já tomavam o estádio, atletas e torcedores choravam de alegria, festa no estádio, nas ruas e no clube", a torcida do Campinense era pequena mais era valente, quando acabou o jogo a torcida invadiu o estádio, todos os jogadores campeões foram carregados nos ombros pelos torcedores para o vestiário,Campina Grande ficou admirada com toda aquela festa.

1962- Um ano inesquecível, um dos melhores ano da história do Campinense.

O Campinense iniciou sua campanha no estadual vencendo o União por 6 x 2 , era um grande time, um dos melhores do Brasil, chegou a ficar 25 jogos consecutivos sem perder, em um mês o Campinense conquistou dois torneios: inauguração dos refletores do estádio da Graça e o torneio Paraíba-Rio Grande do Norte e ainda foi vice-campeão do torneio Pernambuco - Paraíba.

O Campinense conquistou o tricampeonato estadual com apenas uma derrota,marcou 43 gols em 17 jogos.

Mas uma vez a raposa participaria da Taça Brasil, o Campinense estava na fase Nordeste, na sua estréia venceu o ABC-RN por 4 x 0 no Plínio Lemos, no jogo volta mais uma vitória 3 x 1, o Campinense avançou de fase encarou o CRB-AL ganhou a primeira partida por 2 x 1 no Plínio Lemos mas o clube perdeu os pontos daquela partida e teve que decidir seu futuro fora de casa, jogando na casa do adversário o Campinense simplesmente atropelou o CRB 6 x 0 em pleno estádio Pajuçara, essa goleada em uma das maiores da história da Taça Brasil, Campinense então decidiria o título da fase Nordeste contra o Bahia-BA,esse time do Bahia tinha sido campeão da Taça Brasil três anos antes derrotando o Santos de Pelé. Na primeira partida fora de casa o Campinense perdeu por 1 x 0 gol de Didico, mesmo assim os torcedores aplaudiram os jogadores do Campinense pela sua grande atuação, principalmente o goleiro Augusto que fez grandes defesas naquela partida, no jogo de volta no Plínio Lemos o Campinense venceu por 2 x 0 gols de Zezinho e Araponga, esse resultado fez com que o confronto tivesse um jogo extra, o Campinense jogava pelo empate, esse jogo extra foi realizado no Plínio Lemos, a partida foi dramática, o Bahia abriu o marcador com Hamilton aos 18 minutos do 1º tempo, no fim da partida o jogador do Campinense Zé Preto foi expulso, mas no fim do jogo mesmo com um homem a menos o Campinense conseguiu empatar o jogo com Araponga, quando o jogo acabou, torcedores e jogadores choravam.

Na decisão da fase Norte - Nordeste,o Campinense não foi feliz, no primeiro jogo em casa contra o Sport 0 x 0, no jogo em Recife o Campinense perdeu por 2 x 0.

Em dezembro de 1962 o Campinense deixou de ser Centro Esportivo Campinense Clube(CECC), para ser o que é até hoje: CAMPINENSE CLUBE.

1963-O Campinense consegui mais um título estadual,ao vencer na melhor de três o Treze:
                  Campinense 1x1 Treze
                  Campinense 2x0 Treze
                  Campinense 2x2 Treze

Já eramos tetracampeão da Paraíba.


1964- Mais uma vez o Campinense faz uma campanha sensacional, sendo derrotado apenas uma vez na competição, e acumulado várias goleadas: Campinense 8 x 0 Auto Esporte, Campinense 11 x 0 Red Cross, 1964 era o centenário de Campina Grande como cidade, na grande final o Campinense voltou a decidir contra o Treze, na série melhor três o Campinense perdeu o primeiro jogo por 2 x 1, no segundo jogo ganhou por 2 x 1, no terceiro e decisivo jogo, o Campinense venceu o por 2 x 1, Campinense nessa partida estava com um homem a menos já que o Zé Preto foi expulso na comemoração do gol de empate do Campinense, coube a Zé Luiz fazer o gol do penta e da vitória da raposa aos 20 minutos da etapa final, pronto o carnaval em Campina Grande havia começado, já que a grande final ocorreu no dia 9 de fevereiro.

1965- O time do penta, foi praticamente todo desmanchado, logo no inicio o Campinense demitiu o treinador Astrogildo Nery e trouxe para seu lugar o trinador Janos  Tatrai, um pouco tempo depois ouve nova mudança de comando saiu o Janos e chegou o Pedrinho Rodrigues, que ela conhecido por ser um homem misterioso, sempre tinha um cachimbo na boca, dizia-se nos bastidores que ele tinha um irmandade a sua disposição, com capacidade de fazer mal com aquele que lhe opõe, logo que chegou na cidade surpreendeu a todos, ele chegou escutando o jogo entre Treze e Guarabira, segundo os supersticiosos isso causou a derrota do Treze,ele foi o terceiro técnico do Campinense na temporada de 65 ao todo o Campinense teve seis técnicos naquela temporada, o Campinense perdeu o 1º turno para o Esporte de Patos, lá no Sertão, perdeu por 2 x 1, no returno o Campinense logo de cara goleou o Botafogo-PB por 4 x 1 na capital,foi em  65 que aconteceu a 1ª grande final entre Campinense e Botafogo-PB, conforto que ficou conhecido como "Capital do estado x Capital do futebol" , na série melhor de três com o Botafogo o Campinense venceu a 1ª partida por 1 x 0, gol de Debinha no estádio Plínio Lemos, no dia 13 de fevereiro houve um empate por 0 x 0, no dia 19 de fevereiro o Campinense venceu o Botafogo-PB no estádio Plínio Lemos com o gol de Debinha aos 20 minutos do 1º tempo...CAMPINENSE HEXA É LUXO! nessa época o Campinense já tinha 2.000 sócios atraídos pelos resultados do futebol, a Raposa tinha o enorme poder de mídia na época.

1966- Esse foi o último ano do mandato do presidente Ermírio Leite.

1967- Assume então a presidência do Campinense o Ivan Farias, o Campinense volta novamente a conquista a Paraíba, quando muitos dirigentes achavam melhor acabar com o departamento de futebol do clube, o Campinense chegava uma marca incrível, 9 anos como time profissional e 6 títulos conquistados, a conquista de 67 veio depois do Campinense conquistar o quadrangular final, que tinha: Treze, União, Botafogo-PB, no quadrangular foram 4 vitórias em  6 jogos.

Nesse ano o Campinense inaugurou a iluminação(postes e refletores) do Plínio Lemos.

1968- Último ano da presidência de Ivan Farias, o Campinense nem chegou nas finais do Campeonato Paraibano, participou da Taça Brasil, mas também não teve sucesso acabou ficando em último lugar em seu grupo que tinha: América de Natal e Piauí, o Campinense também participou do Torneio Norte-Nordeste, mas não obteve êxito ficou em 5º lugar em seu grupo e não avançou de fase.

1969- Assume um novo presidente, Antônio Lucena, e mais uma vez o Campinense fracassa no estadual, nem conseguir chegar nas finais o clube conseguiu, mas o Campinense conseguiu uma expressiva marca, no dia 30/04/69 o Campinense meteu 6 x 2 no seu maior rival o Treze, essa goleada é a maior do Clássico dos Maiorais.

1970- No ano de 1970, o Campinense juntamente com o Treze decidi não participa do Campeonato Paraibano, em protesto contra  a FPF(Federação Paraibana de Futebol), com isso ambas equipes resolveram criar o torneio Mistão de 70, com equipes de várias cidades da Paraíba, o Campinense claro foi campeão, aquela base de time seria pentacampeão do estado mais futuramente, o Campinense conquistou o torneio Mistão em cima do Treze, depois de vencer as três partidas da final: 2 x 1, 2 x 0, 1 x 0.

O Campinense também participou da Copa Norte-Nordeste, o Rubro-Negro ficou na zona Nordeste, no grupo 2-B, classificou-se para o hexagonal em 1º lugar no seu grupo, no hexagonal o Campinense não foi bem e ficou em último lugar.

Nesse ano o Campinense construiu uma quadra poliesportiva e uma piscina lá no Plínio Lemos.

1971- O Campinense volta a disputar o Campeonato Paraibano, e é o grande campeão da Paraíba, o time só perdeu duas vezes na competições, na final levou a melhor contra o Botafogo-PB na melhor de três: 2 x 0, 1 x 2 , 2 x 1.

A Raposa mais uma vez fez história na Paraíba, sendo o 1º time do estado a participa da série B, em sua primeira participação na série B, o Campinense teve 6 pontos ganhos em 5 jogos foram: 3 vitórias, 2 derrotas e nenhum empate, marcou 5 gols e sofreu 5 saldo de 0 gol.

1972- O Campinense conquista o paraibano e mais uma vez é bicampeão estadual, o título veio depois de vencer o triangular final com Treze e Botafogo-PB. O Campinense acabou sendo vice-campeão do torneio Paraíba-Ceará, mas sem dúvidas a maior conquista desse ano foi o vice campeonato da série B, na 1ª fase o Campinense ficou no grupo B com: América-RN, Ríver-PI, Ferroviário-MA, Maguari-CE e o Calouros do Ar-CE, o Campinense se classificou em 1º, ainda nessa 1ª fase o Campinense aplicou um goleada histórica 6 x 0 em cima do Calouros do Ar-CE essa é uma das maiores goleadas do futebol brasileiro, na 2ª fase a campanha da raposa foi perfeita nenhuma derrota 6 vitórias em 6 jogos, a grande final foi contra o Sampaio Corrêa, a decisão ocorreu no Maranhão antes disso foi feito um sorteio para sabe aonde seria a grande final, jogo único, o Campinense abriu o placar, a arbitragem era claramente tendenciosa para o Sampaio, no final do jogo o bandeirinha não marcou impedimento(claríssimo) do jogador do Sampaio, que empatou a partida  aos 45, um minuto depois o jogo acaba, vamos então para a prorrogação acabou 0 x 0, então a série B seria decidida nos pênaltis, naquele época apenas um jogador de cada time batia todas as penalidades, pro Campinense quem ia bater era Ivan Lopes para o Sampaio era o Pelezinho, novamente houve a intervenção da arbitragem, quando a disputa estava empatada em 4 a 4. Na quinta cobrança, Ivan converteu, mas, o árbitro solicitou nova cobrança, pois segundo sua observação a bola estava fora da marca. Neste segundo lance, Ivan desperdiçou para na cobrança seguinte, Pelezinho estufar as redes de Olinto e decretar o titulo brasileiro para a “Bolivia”, já o Campinense retornou para casa crente que havia perdido simplesmente um mero e inexpressivo titulo da Copa Norte.O Campinense teve a melhor campanha geral do campeonato e ainda o melhor ataque 32 gols marcados em 17 jogos.

1973- Não sendo felizes na busca pela série B, conquistamos mais uma vez o paraibano eramos tricampeões da Paraíba, com apenas uma derrota e doze vitórias em dezessete jogos.

Nesse ano conquistamos a nossa 1ª Copa Paraíba de forma invicta, foram cinco vitórias e 2 empates, ainda conquistamos o torneio Nabuco Barreto também de forma invicta.

1974- Em 74 conquistamos mais um título estadual, já eramos tetracampeões da Paraíba,e a essa altura já pesávamos que poderíamos ser novamente hexacampeão do estado.

1975- O título estadual de 75 até hoje gera polêmica, pois o STJD e a CBF reconhecem o Campinense como campeão, mas a FPF não reconhece, mas de fato e direto somos pentacampeão do estado, em 75 o Campinense mais uma vez fez história ao se tornar o primeiro time do estado a participar do Campeonato Brasileiro da Série A, a campanha não foi boa, ficamos em último, mas valeu pelo o pioneirismo.

Nesse ano o Campinense inaugurou o estádio o Amigão, numa partida amistosa contra o Botafogo-RJ no dia 08 de março, a partida acabou 0 x 0, algum tempo depois o Campinense fez um amistoso contra o Treze, onde acabou 1 x 1, sendo que o primeiro gol do jogo foi o primeiro gol do estádio Amigão, gol esse marcado pelo jogador do Campinense Pedrinho Cangula. O Campinense ainda nesse ano construiu um alambrado no Plínio Lemos.

1977- Chegamos ao hexagonal final do estadual, mas acabamos em 2º lugar, mas o time conseguiu conquista o torneio Heleno Nunes de forma invicta, inclusive metendo 10 x 1 no Santos de João Pessoa.

1978- O Campinense não participou do Campeonato Paraibano desse ano, nesse ano o Campinense conseguiu sua 1ª vitória na série A, a raposa derrotou o Vila Nova-MG no Mineirão no dia  27/04  3 x 2.

1979- Depois de 4 anos sem conquistar o título estadual, a raposa volta a conquista a Paraíba, a grande final foi contra o Botafogo-PB, no dia 22 de junho mais de 12 mil pessoas virão o Campinense conquista seu 13º título estadual depois de um empate em 1 x 1, Mauro marcou  o gol do título da raposa, depois de driblar o goleiro do Botafogo-PB.

O Campinense também fez uma grande campanha na série A, na primeira fase classificamos em 5º lugar no grupo com 10 equipes, na segunda fase ficamos em 3º lugar, por pouco não eliminamos o Atlético-MG que ficou em 2º lugar com 10 pontos, a raposa ficou com 8 pontos. Na classificação geral o Campinense ficou em 24º lugar no total de 94 clubes, essa campanha é a melhor campanha de clube paraibano na série A.

1980- Mas uma vez o Campinense volta a ser bicampeão do estado, contra o Botafogo-PB, a decisão aconteceu em dois jogos, o primeiro jogo foi em João Pessoa, 1 x 1, a grande final foi em Campina Grande, com a vitória da raposa 2 x 0.

1981- Esse ano marcou a última participação do Campinense na série A, o clube ficou em penúltimo lugar no seu grupo na 1ª fase, e acabou em 35º lugar no total de 44 clubes na classificação geral. No Campeonato estadual o time ficou com o vice.

1982- O ataque do Campinense marcou 104 gols no Campeonato Paraibano poucas vezes isso aconteceu, na temporada toda foram 114 gols marcados.

No Campeonato Paraibano o Campinense ficou com o vice.

Na série B a equipe avançou de fase mas foi eliminado pelo Corinthians-SP e pelo Fortaleza-CE.

1983- Pelo segundo ano seguido o ataque do Campinense marca mais de 100 gols no Campeonato Paraibano, se em 82 foram 104 gols marcados, em 83 foram 135 gols marcados só no paraibano, na temporada toda foram marcados 141 gols. No paraibano o time mais uma vez ficou com vice-campeonato.

1984- Nesse ano o Campinense mais uma vez ficou com o vice-campeonato paraibano, já era o 4º ano seguido sendo vice-campeão estadual.

1985- Em 1985, o Campinense conquistou o 1º turno do campeonato estadual, o Campinense liderava o octogonal do 2º turno, quando a justiça cancelou a competição, mas o Campinense não ficou em branco em 85 não, a Raposa conquistou sua 2ª Taça Campina Grande, foram 3 jogos contra o Treze, no agregado  ficou 4 x 3 para o Campinense, a raposa conquistou o título no Presidente Vargas, estádio do Treze.

1986- O Campinense acabou o Campeonato Paraibano em 3º lugar.

1987- O Campinense acabou o Campeonato Paraibano em 4º lugar.

1988- O Campinense foi 3º colocado no Campeonato Paraibano, esse ano marcou a história do clube, como sendo o ano que o Campinense participou pela 1ª vez da série C, na 1ª fase a equipe se classificou em  2º lugar no total de 4 equipes, na 2ª fase a equipe ficou novamente na 2ª posição, mas só se classificava o 1º colocado, na classificação geral ficamos em 12º.

1990- Esse ano marcou a 2ª participação do Campinense na série C.

1991- Finalmente o jejum acabou! depois de 11 anos sem conquistar um título estadual, o Campinense foi campeão da Paraíba, o Campinense não se classificou de primeiro, antes de ir para o quadrangular final, o Campinense teve que passar pela repescagem, que foi denominado o "quadrangular da morte", no  "quadrangular da morte" o Campinense venceu todas as seis partidas, foi então que o time se classificou quadrangular final, na última rodada do quadrangular final o Campinense venceu o Nacional de Patos por 3 x 1, e o Botafogo empatou com o Auto Esporte, com esses resultados o Campinense foi campeão da Paraíba de 1991.

1992- Em 1992 o Campinense participou pela 1ª vez da Copa do Brasil, o adversário foi o Bahia, no 1º jogo o Campinense empatou em casa por 1 x 1, o jogo de volta foi na Bahia, acabou 0 x 0 e o Campinense foi desclassificado.

1993- Em 93, o Campinense volta a ser campeão do estado, no quadrangular decisivo, o Campinense venceu o Treze na última partida e faturou o caneco mas uma vez.

1994- Segunda participação do Campinense na Copa do Brasil.

1995- Os diretores do clube cometeram um enorme erro, eles decidiram juntamente com outros times formar uma Liga de Futebol, com isso o Campinense ficou dois anos fora do futebol profissional.

1998- O Campinense Clube volta ao futebol profissional, voltaria a disputar o Campeonato Paraibano e já chegou bem, a equipe foi vice-campeã do estado, e ouve uma mudança importante no seu escudo, a partir de 98 o escudo do time começou a ter seis estrelas, representado o hexacampeonato paraibano(1960-1965).

1999- Esse ano foi marcado pela 1ª participação do Campinense na Copa do Nordeste, a equipe não foi bem, ficou em último lugar no seu grupo, na classificação geral o Rubro-Negro ficou em 15º lugar no total de 16 clubes.

2000- Em 2000, a equipe foi eliminada do Campeonato Paraibano nas semi-final, nesse mesmo ano o time participou da Copa João Havelange,o Campinense ficou no módulo verde, o que equivale a série C, mas acabou ficando em último lugar no seu grupo.

2001- O Campinense perdeu o título da Copa Jornal da paraíba após perder para o Sousa por 2 x 1.

2003- No ano de 2003, o Campinense fez uma ótima campanha na série C, se classificou nas cincos fases, chegou na última fase, na última rodada o Campinense teria que vence o Santo André dentro de casa para subir de série, mas isso não ocorreu, no dia 07 de dezembro de 2003 mais de 19 mil pessoas viram o Campinense perder o jogo para o Santo André, por 2 x 1 e adiar o sonho de voltar a série B, na classificação geral o Campinense ficou em 4º lugar, mas na época só subia de série os dois primeiros.

2004-  Em 2004, o Campinense conquistaria mais um título estadual, o destaque vai para a torcida da raposa que na final do 1º turno colocou 37 mil pessoas no Amigão, a grande final foi contra o Treze, o 1º jogo ocorreu dia 13/06/04 e o Campinense ganhou por 2 x 1, no jogo de volta dia 20/06 houve um empate 2 x 2, no agregado ficou assim: Campinense 4 x 3 Treze, esse foi o 17º título estadual do Campinense.

2005-Em 2005 o Campinense por pouco não eliminou o Fluminense-RJ da Copa do Brasil, o 1º jogo foi no Amigão no dia 16/02 e a raposa ganhou diante de mais de 12 mil torcedores por 1 x 0, o jogo de volta dia 02/03 o Fluminense venceu por 3 x 1, a raposa estava se classificando até os 35 do 2º tempo, no agregado ficou assim: 
Fluminense 3 x 2 Campinense.

2006- Em 2006, o Campinense conquistou a Copa Paraíba de forma invicta, foram 4 vitórias em 6 jogos, marcou 17 gols e sofreu 5. No Campeonato Paraibano a raposa ficou em 3º lugar.

2008- Um dos melhores anos da história do Campinense, inicialmente o Campinense conquistou pela 18º vez o Campeonato Paraibano, e mais uma vez em cima do Treze, a raposa teve o melhor ataque da competição marcou 52 gols, o 1º jogo da final foi no dia 11/05 e o Campinense venceu por 3 x 0, segundo jogo 2 x 0 para a raposa, no agregado ficou assim: Campinense 5 x 0 Treze, e mais uma vez a torcida do Campinense mostrou porque é a maior da PB, na grande final colocou mais de 21 mil pessoas.

Além do título estadual, a raposa conseguiria o acesso para a série B, primeiro time do estado a conseguir um acesso, em 32 jogos o Campinense: venceu 13, empatou 12 e perdeu 7, fez 43 gols e sofreu 38 saldo de 5 gols, a torcida foi destaque, em toda a competição o Campinense teve um público acumulado de mais de 119 mil pessoas, uma média superior a 7.700, a festa nas ruas depois do acesso for enorme, Campina Grande parou mais uma vez para ver mais uma conquista Rubro-Negra, a chegada do time a Campina Grande foi só alegria, mas de 5 mil torcedores lotaram as ruas de Campina.

2009- Com o acesso garantido era se planejar, mas não foi o que aconteceu, começando pelo paraibano onde o time acabou ficando em 3º lugar, na Copa do Brasil fomos eliminados pelo Misto-MS, o 1º jogo foi no dia 18/02 fora de casa o Campinense empatou por 1 x 1, jogo de volta dia 04/03, tempo normal 1 x 1, nos pênaltis 3 x 2 para o Misto-MS,Campinense eliminado da Copa do Brasil, na série B faltou planejamento, o Campinense mesmo passando toda a competição na zona de rebaixamento teve um média superior a 4.400 pessoas, essa foi a 10º melhor média da competição, superando times que estavam no topo da tabela, mas dentro de campo a coisa foi ruim, o Campinense foi o vice-lanterna da competição, teve 23 derrotas em 38 jogos, só venceu 11 partidas, fez 54 gols e tomou 79 e teve o 3º artilheiro da competição Edmundo marcou 14 gols e ficou a 3 gols de ser o artilheiro da competição, ficou a 10 pontos de escapar do rebaixamento, mas não deu, Campinense rebaixado para a série C 2010.

2010- O time quase que cai para a série D, o Campinense escapou porque tinha uma vitória a mais do que o Alecrim, mesmo assim a média de público do Campinense foi superior a qualquer outro clube paraibano no ano.

A raposa em 2010 passou por muitos problemas financeiros, a Justiça do trabalho penhorou vários objetos do clube.

2011- Em 2011, o Campinense não conseguiu evitar o seu rebaixamento para a série D, o time acabou sendo rebaixado para a série D 2012, no paraibano a raposa foi vice-campeã.

2012- Em 2012, a raposa começou conquistando o seu 19º título estadual, dessa vez em cima do Sousa, 1º jogo da final foi no dia 09/05 o Campinense empatou fora de casa 1 x 1,a grande final foi no dia  13/05 o Campinense goleou 4 x 0, no agregado ficou Campinense 5 x 1 Sousa, com isso o Campinense garantiu vaga na Copa do Brasil e do Nordeste 2013, o Campinense ainda teve a melhor média de público do campeonato.

No Campeonato Brasileiro da série D fracassamos, depois de uma 1ª fase ruim, o Rubro-Negro se classificou em 2º lugar, nas oitavas pegou o CSA-AL e ganhou o 1º jogo por 2 x1 em casa,fora de casa aconteceu um empate 0 x 0,nas quartas-de-final a raposa pegou o Baraúnas-RN, 1º jogo em casa 1 x 1, 2º jogo fora o Campinense perdeu por 2 x 0, adiando assim o sonho de voltar a série C.

2013- A raposa se reformulou geral, após o fracasso da série D, apenas um jogador ficou na raposa, o Campinense trouxe jogadores desconhecidos, muitos nunca jogaram aqui na Paraíba, alguns disseram que isso não daria certo, mas deu! na Copa do Nordeste a raposa fez história, na 1ª fase ficou em 2º lugar no grupo que tinha; CRB-AL,Santa Cruz-PE,Feirense-BA,nessa fase a raposa só teve uma derrota, nas quartas-de-final o time pegou o Sport, 0 x 0 em casa e 2 x 2 fora, o Campinense eliminou o Sport dentro da Ilha do Retiro,façanha que muitos acharam impossível, na semi-final pegamos o Fortaleza,1º jogo perdemos por 2 x 1, jogo de volta, mais de 18 mil pessoas viram o Campinense vencer o Fortaleza por 1 x 0, Campinense estava na final e já tinha feito história, ao ser o primeiro time paraibano a decidir uma Copa do Nordeste, o 1º jogo aconteceu fora de casa e o Campinense venceu o ASA por 2 x 1, era o Rubro-Negro perto do título, o jogo de volta aconteceu no dia 17/03, mais de 19 mil pessoas, Amigão lotado, o Campinense ganha por 2 x 0 e se torna o maior clube do Nordeste na atualidade, o Campinense que bateu vários recordes: primeiro time paraibano a ser campeão da Copa do Nordeste, primeiro time paraibano a conquista um campeonato com a chancela da CBF, primeiro time do interior do Nordeste a ser campeão da Copa do Nordeste, a média de público da raposa foi a maior que um clube paraibano já teve na competição 9.224, essa média foi a 5º maior da competição.


0 comentários: